Reclamões

Posted by in Uncategorized

0

É constante quando você começa a olhar de fora. Todo dia eu vejo as mesmas pessoas, sem erro, reclamando da própria vida. Elas têm os mesmos problemas, mesmo que não se conheçam. Elas reclama usando as mesmas frases, tão insatisfeitas com seus trabalhos, com sua solidão, com suas expectativas frustradas. Elas reclama sobre como as conquistas que tiveram foram pequenas e como os tombos que levaram foram enormes. Tão cinzas, tão tristes, com tantas oportunidades desperdiçadas em um monte de lamentações vazias. Vazias, sim, porque reclamar e não levantar o cu não adianta muita coisa.

É tanta raiva que essa galera sente. Tão cheios de certezas sobre tudo o que está errado, sobre o que deveria ser feito, sobre como as coisas não funcionam por isso, e aqui, e tudo mais. Tão apáticas, sem moverem um dedo para mudarem as próprias vidas. Se você senta com elas, lê seus feeds, ouve suas histórias, é tudo tão repetitivo. São pessoas que nunca se viram na vida, mas conseguem falar das mesmas coisas e viverem da mesma maneira. Você conhece gente assim. Talvez você seja alguém assim.

Conheço pessoas realmente positivas e produtivas. Gente que tem todo dia um assunto novo porque a vida não é um muro de lamentações, mas sim uma viagem por novos campos. Essas pessoas nunca vieram me dizer que deveria mentir sobre o que eu escrevo, nunca me disseram que eu deveria olhar meu linguajar, minhas opiniões, minhas coisas todas. Essa galera tá ocupada demais e feliz demais para cagar na cabeça alheia. Esses caras cinzas não, eles têm tempo de sobra para dizer o quanto você está errado e o quanto eles o reprovam.

Gente frustrada incomoda demais. Eu, infelizmente, não consegui evoluir a ponto de não me ocupar mais dessa galera. Porém, ultimamente, tenho prestado atenção de fora, olhando antes de falar alguma coisa. São sempre os mesmos. Eu fico maluco de perceber como são os mesmos, como o tempo passa e são sempre as mesmas queixas, os mesmos lamentos, as mesmas eternas reclamações. Esse povo poderia viver tão mais feliz. Não é meu trabalho ensiná-los, amém. Também não é meu trabalho aguentá-los. Amém também.