Memórias Utópicas

Acendi um baseado pra pensar em você

Posted by in Uncategorized

0

Acendi um baseado pra pensar em você. É uma das coisas que eu mais gosto de fazer no mundo. Bolei rapidinho na mesa da sala, deitei no sofá e fumei inteiro, sem pausa. Viajei lembrando daquela vez que você me disse que eu tinha um olhar ameaçador enquanto bolava baseados. Não sei. Nunca fiz isso de frente com um espelho pra saber. Mas se você disse, eu acredito. Taí um fato: eu nunca duvidei de você sobre absolutamente nada. E você me falava que tudo ia ficar bem, que as…read more

Canivete

Posted by in Uncategorized

1

O Canivete era o moleque mais foda da escola. Ele tinha um canivete, porra. E a mãe dele tinha morrido quando ele ainda era bebê. E dizem que o pai dele tava preso. Matou alguém. E a vó dele cuidava dele, mas na verdade ele fazia tudo que queria. Os professores tinham medo dele porque diziam que ele tinha “instabilidade emocional” e isso o tornava perigoso. O Canivete tinha 15 anos e não passava dos 60 quilos. Ele tinha alguns amigos, mas ninguém gostava dele. Os amigos estavam por perto…read more

ops, texto temporariamente sem imagem

Você tinha que ter vindo!

Posted by in Uncategorized

0

“Você tinha que ter vindo”, ela disse. Falou comigo ontem! Mas disse como quem diz que vai se atrasar dez minutos, ou como se fosse um recado de alguém desimportante que ligou. Fiquei pensativo quando ela me falou. A Ana é o tipo de garota que não fala coisas por educação ou para fazer social. Se ela disse que eu deveria ter ido, talvez daqui a pouco eu comece a me arrepender por não ter ido. Mas não, as coisas não são assim, a gente não tinha que ter ido….read more