Memórias Utópicas

E se eu te trocar pela minha melhor amiga?

Posted by in Uncategorized

0

“Amor, eu te amo, mas ela me ama muito mais do que você!” Poderia ser uma mentira, mas é uma true story! E não é o tipo de história em que a moça troca o namorado nota 4,5 pela amizade incondicional de quem sempre esteve lá para tudo. Não é uma questão de trocar um relacionamento amoroso por uma amizade inquestionável: é troca de parceiro mesmo. Ela pulou fora de uma relação estranha e instável para se jogar de cabeça na vida de uma pessoa que a conhecia como ninguém. Partiu…read more

A essência das coisas

Posted by in Uncategorized

0

A essência das coisas talvez seja aquilo que elas fazem independentemente do resto. Talvez mesmo, não sei, quase não sei de nada na vida. Meu palpite é o seguinte: A essência dos planetas é orbitarem o Sol. Eles ficam girando, incansáveis, em torno daquela bola luminosa e é isso que eles fazem. A essência da Terra não é ter humanos e água. A essência de Saturno não é ter anéis e satélites. A essência de Júpiter não é ter um furacão incansável de quilômetros de diâmetro. A essência de todos…read more

Canivete

Posted by in Uncategorized

1

O Canivete era o moleque mais foda da escola. Ele tinha um canivete, porra. E a mãe dele tinha morrido quando ele ainda era bebê. E dizem que o pai dele tava preso. Matou alguém. E a vó dele cuidava dele, mas na verdade ele fazia tudo que queria. Os professores tinham medo dele porque diziam que ele tinha “instabilidade emocional” e isso o tornava perigoso. O Canivete tinha 15 anos e não passava dos 60 quilos. Ele tinha alguns amigos, mas ninguém gostava dele. Os amigos estavam por perto…read more

Islândia

Posted by in Uncategorized

0

Sonhei com a Islândia. Essa noite meu cachorro não dormiu nos meus pés, acho que esfriou demais e acabei sonhando com neve. Mas não era só neve. Havia uma estrada longa, parecia infinita, e eu dirigia um daqueles carros de filmes, tipo Mustang 68, sentindo a vibração do motor no volante, câmbio manual de seis marchas e os vidros abertos. Minha boca estava rachada do frio, mas eu não sentia dor, afinal, era um sonho. Uma imensidão tão infinita que fazia me sentir pequeno, como se precisasse correr ao máximo…read more

Ela e Ele

Posted by in Uncategorized

0

[19:43] Entraram no carro e riram, não por nada engraçado, mas por alegria acumulada. Era feliz o encontro deles, em todas as vezes. Amigos recém conhecidos. Havia um otimismo no ar, uma satisfação pela companhia mutua, se davam bem e se sentiam bem um com o outro. Mensagens de celular, risadas altas, janelas fechadas e uma série de semáforos misteriosamente verdes. [20:01] No bar, mil abraços em mil pessoas, copos, taças, risos, fotos, mais fotos e todo tipo de conversa amena. Termômetros em 11 graus e dentes brancos à mostra…read more

Ideia fixa

Posted by in Uncategorized

0

Nunca gostei de ideias fixas. Essa coisa de pensar em tudo e no fim terminar na mesma solução, ou no mesmo conceito, sempre me irritou. Infelizmente tenho vivido esse incômodo diariamente nos últimos tempos. Você se tornou uma obsessão tão chata que tenho ficado em dúvida se realmente gosto de te ver. Penso em você e sobre você tantas vezes por dia que já não quero te encontrar, só para tirar folga da sua imagem. Pego o carro e lembro de você falando coisas, qualquer bobagem, comentando o cotidiano, falando da sua…read more

Solidão colorida

Posted by in Uncategorized

0

Que cor tem a sua solidão quando já é quinta-feira, passam das duas, e você ainda não foi dormir? Que tipo de coisa você pensa? Como é a cara da casa vazia, com as luzes apagadas, a sombra das coisas iluminadas pela claridade artificial da rua e os móveis estalando com a oscilação de temperatura? Você pensa em quem quando não tem ninguém pensando em você? Eu, que já não sou grande coisa a essas horas, penso em você quando ninguém está pensando em mim. Penso e faço um copão…read more

ops, texto temporariamente sem imagem

Reclamões

Posted by in Uncategorized

0

É constante quando você começa a olhar de fora. Todo dia eu vejo as mesmas pessoas, sem erro, reclamando da própria vida. Elas têm os mesmos problemas, mesmo que não se conheçam. Elas reclama usando as mesmas frases, tão insatisfeitas com seus trabalhos, com sua solidão, com suas expectativas frustradas. Elas reclama sobre como as conquistas que tiveram foram pequenas e como os tombos que levaram foram enormes. Tão cinzas, tão tristes, com tantas oportunidades desperdiçadas em um monte de lamentações vazias. Vazias, sim, porque reclamar e não levantar o…read more

2 p.m.

Posted by in Uncategorized

0

Um cigarro atrás do outro, um cigarro atrás do outro, um cigarro atrás do outro e depois uma overdose de internet durante a madrugada, as pupilas dilatadas, os lábios secos, imagens de carros, cães em situações ridículas, modelos com rostos perfeitos, cabelos multicoloridos, roupas caríssimas, joias, anéis de ouro, correntes com pedras raras, dedos finos com unhas pontiagudas, cenas de sexo explícito, zero amor, zero amor, zero amor, uma garota coberta de porra, um cara gritando para fora do carro, jovens brincando com garrafas de vidro em frente a uma…read more

Tempos mudados

Posted by in Uncategorized

1

Tenho achado que algumas coisas estão meio estranhas, mas não saquei de primeira. A gente vive de dois em dois, pulos duplos, correndo contra e a favor do tempo o tempo todo. Isso nos tira uma boa parcela da habilidade de perceber mudanças sutis no mundo que nos cerca. Alguma coisa mudou, por exemplo, na maneira como eu escrevo. Tenho tido muito pra falar e pouco pra escrever, mas passei os últimos dez anos vivendo da maneira oposta. As pessoas falam de forma diferente, os assuntos são diferentes, as rotinas mudaram….read more